05:07:2011

E hoje o vento acariciou-me todo o corpo. E na velocidade que me impunha senti-te na sua frescura e envolvência. E pensei em ti. E quando me cruzei com as pessoas estas tinham a tua face. Elas eram tu. E eu olhei-as com a curiosidade que tenho quando olho para ti. E tudo me pareceu mais lento. Uma marcha de movimentos calmos em redor da beleza que é descobrir-te. E sorri-lhes sempre. Sabendo elas que não eram tu estranharam-me. Mas como bem sabes os sorrisos espalham-se pelos recantos dos nossos lábios e empregam-nos o espírito que não resiste em ceder-lhes os vincos de uma felicidade estampada. No rosto. E assim elas souberam o que é ser-se olhado desta forma. Que só sei olhar quando para ti olho. E elas seguiram o seu caminho. E eu o meu. Mas por breves momentos eles souberam. E perceberam. Toda a vida que nos une quando trocamos um simples olhar. 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s